CURSOS TÉCNICOS E VESTIBULAR

Este é um texto publicitário

Vamos mudar um pouco e apresentar um site de Cursos muito prático e importante para quem busca uma formação profissional no Brasil.

No projeto existe uma área destinada ao vestibular, onde são divulgadas vagas, dicas, inscrições, instituições, SiSU, ENEM e outros diversos projetos em andamento ao longo do ano. Fique por dentro das novidades, além do vestibular, o site tem um ótimo conteúdo quando o assunto são os cursos técnicos, localizando e listando centenas de cursos por todo o Brasil.

Tópicos superimportantes do site:

  • Lista das FAETEC RJ
  • Divulgação de processos seletivos
  • Lista de instituições de ensino
  • Projetos educacionais do Governo
  • Instituições aprovadas pelo MEC
  • Reconhecimento nacional de instituições

O icursosonline tem como fundamento a organização de conteúdo para ajudar pessoas que buscam ofertas de cursos, universidades, projetos e muito mais.

Confira você também o site e não perca de vista.

Corra o Prazo para FEI está encerrando

Esse é um texto publicitário.

Corra pois as inscrições para o processo seletivo da FEI estão se encerrando.

O maior centro de tecnologia, robótica e engenharia está com o processo seletivo aberto para o segundo semestre de 2011, com inscrições até o dia 07 de Junho.

Com o título de melhor Instituição Particular na área de Engenharia e Produção, prêmio adquirido em 2010, o Centro Universitário FEI está com inscrições abertas até o dia 07 de Junho para o processo seletivo do 2º semestre, com provas nos dias 11 e 12 de Julho.

Com seus dois campus, São Bernardo do Campo e São Paulo, a FEI, é reconhecida como referência nos cursos de Engenharia, Ciência da Computação e Administração, desde 1945 tem formado alunos totalmente preparados e especializados para o mercado de trabalho devido á sua estrutura, organização e plano pedagógico.

São 88 laboratórios divididos em Centro de Laboratórios Elétricos, Centro de Laboratórios Mecânicos e Centro de Laboratórios Químicos, todos equipados com aparelhos de alta tecnologia, dois centros de informática, um como Laboratórios de Pesquisas e Desenvolvimento e outro comoLaboratórios de Ensino e de Estudos, contendo um total de 792 microcomputadores de ultima geração, além dos auditórios, bibliotecas, centros de vivencia desportiva e áreas de lazer.

Os candidatos interessados em participar do processo devem fazer suas inscrições até a data limite pelo site http://www.fei.edu.br, ou diretamente em um dos campos da faculdade.

Questão 32 – 1 Exame de Qualificação – UERJ 2010

Livros - Submarino.com.br

A prova original, assim como seu gabarito, se encontram em:

Vestibular Uerj 2010

Enunciado

32) Um foguete persegue um avião, ambos com velocidades constantes e mesma direção. Enquanto o foguete percorre 4,0 km, o avião percorre apenas 1,0 km. Admita que, em um instante t1 , a distância entre eles é de 4,0 km e que, no instante t2 , o foguete alcança o avião.

No intervalo de tempo t2-t1 , a distância percorrida pelo foguete, em quilômetros, corresponde aproximadamente a:

(A) 4,7
(B) 5,3
(C) 6,2
(D) 8,6

Resolução

Velocidade do Foguete: Vf = 4Km/t
Velocidade do Avião: Va = 1Km/t

Velocidade de aproximação foguete/avião: Vf – Va = 3Km/t

Logo o Intervalo t2 – t1 vale: t2 – t1 = 4km/(3Km/t) = (4/3).t

A distância percorrida pelo foguete no intervalo t2-t1 será:

d = v.t = (4/t).[(4/3).t] = 16/3 = 5,3
Resposta (B)

Comentário

Questão disciplinar de cinemática bem fácil. Basicamente o candidato precisava aplicar as equações do MU num problema de velocidade relativa.

Papelaria - Submarino.com.br

Questão 36 – 2 Exame de Qualificação – UERJ 2010

bb_bid = “1739”;
bb_lang = “pt-BR”;
bb_keywords = “name;}echo implode(“,”, $names); ?>”;
bb_name = “custom”;
bb_limit = “7”;
bb_format = “bbc”;

A prova original, assim como seu gabarito, se encontram em:

Vestibular Uerj 2010

Enunciado

36) Dois automóveis, M e N, inicialmente a 50km de distância um do outro, deslocam-se com velocidades constantes na mesma direção e em sentidos opostos. O valor da velocidade de M, em relação a um ponto fixo da estrada, é igual a 60km/h. Após 30 minutos, os automóveis cruzam uma mesma linha da estrada.

Em relação a um ponto fixo da estrada, a velocidade de N tem o seguinte valor, em quilômetros por hora:

(A) 40
(B) 50
(C) 60
(D) 70

Resolução

Seja Vm a velocidade do móvel M a 50Km/h que parte da origem dos espaços. Seja Vn a velocidade desconhecida do móvel N que parte da posição 50Km (distância de separação inicial dos móveis) no mesmo instante do móvel M.

As suas equações horárias da posição são, respectivamente:

M: Sm = 0 + 5060.t
N: Sn = 50 – Vn.t

No encontro ambos estão na mesma posição, logo:

Sm = Sn
5060.1/2 = 50 – Vn.1/2 (onde t= 1/2h = 30min)

Resolvendo a equação encontramos que Vn = 40Km/h

Resposta (A)

Comentário

Questão disciplinar de cinemática (Mov. Uniforme) clássica e fácil. Basicamente o aluno precisa aplicar as equações do M.U num típico problema de encontro de móveis.

Papelaria - Submarino.com.br

Questão 27 – 2 Exame de Qualificação – UERJ 2010

Livros - Submarino.com.br

A prova original, assim como seu gabarito, se encontram em:

Vestibular Uerj 2010

Enunciado

27) Um objeto é deslocado em um plano sob a ação de uma força de intensidade igual a 5 N, percorrendo em linha reta uma distância igual a 2 m.

Considere a medida do ângulo entre a força e o deslocamento do objeto igual a 15o, e T o trabalho realizado por essa força. Uma expressão que pode ser utilizada para o cálculo desse trabalho, em joules, é T= 5 x 2 x sentheta .
Nessa expressão, theta equivale, em graus, a:

(A) 15
(B) 30
(C) 45
(D) 75

Resolução

Como sabemos o trabalho realizado por uma força F que faz um angulo theta com o deslocamento d é dado por:

W = F.d.costheta

Também sabemos que se a + b = 90o então cos a = sen b

Logo:

W = F.d.cos15 = F.d.sen75

Resposta (D)

Comentário

Questão interdisciplinar de Trabalho Mecânico e Trigonometria fácil. Basicamente o aluno precisaria saber a expressão matemática para o cálculo do Trabalho. Há uma pequena “pegadinha” com o seno no lugar do cosseno que pode ter derrubado o candidato mais distraído.

Papelaria - Submarino.com.br

Dicas para o Novo Enem

Para aqueles que estão se preparando para os vestibulares nas Universidades que usarão o NOVO ENEM é interessante fazer uma preparação espacial para esta “nova Prova”.

Abaixo alguns apontadores interessantes e úteis para o NOVO ENEM:

Então é isto. Mãos à obra, aos livros e “lute o bom combate”!

Questão43 – exame de Qualificação 2- Uerj/2006

Livros - Submarino.com.br

A prova original, assim como seu gabarito, se encontram em:

Vestibular Uerj 2006

Enunciado

43) Um barco percorre seu trajeto de descida de um rio, a favor da correnteza, com a velocidade de 2 m/s em relação à água. Na subida, contra a correnteza, retornando ao ponto de partida, sua velocidade é de 8 m/s, também em relação à água.
Considere que:
– o barco navegue sempre em linha reta e na direção da correnteza;
– a velocidade da correnteza seja sempre constante;
– a soma dos tempos de descida e de subida do barco seja igual a 10 min.
Assim, a maior distância, em metros, que o barco pode percorrer, neste intervalo de tempo, é igual a::

(A) 1250
(B) 1500
(C) 1750
(D) 2000

Resolução

Na descida as duas velocidades estão no mesmo sentido,logo a velocidade do barco em relação as margens é a soma da velocidade do barco em relação às águas mais a velocidade da água:

Velocidade de descida = C + 2 (onde C é a velocidade da água/correnteza em relação às margens!)

Na subida as duas velocidades tem sentidos opostos, logo a velocidade do barco em relação as margens é a diferença da velocidade do barco em relação às águas mais a velocidade da água:

Velocidade de descida = 8 – C (onde C é a velocidade da água/correnteza em relação às margens!)

Tempo é a razão entre uma distância e uma velocidade (t = d/v), logo o tempo de subida é dado por:

Ts = D/Vs = D/(8 – C) Aqui D é a distância percorrida pelo barco que é pedida no problema!

E na descida teremos:

Td = D/Vd = D/(2 + C) Aqui D é a distância percorrida pelo barco que é pedida no problema!

Como o enunciado diz que a soma do tempo de subida mais o tempo de descida é de 10 min (600 s) teremos:

D/(2 + C) + D/(8 – C) = 600 (temos que usar o tempo em segundos pois as velocidades estão em metros /segundo!

Tirando o mmc e resolvendo para D (faça no seu caderno!) teremos:

D = -60C2 + 360C + 960 (1)

Aqui está o pulo do gato!

Como o problema pede o maior D e vemos que D é igual a solução da equação:

-60C2 + 360C + 960 temos que achar o máximo desta função do 2 grau.

Como sabemos que o máximo desta parábola é o seu vértice e este tem coordenada x (C) dada por

Xmax = -b/2a Onde b e a são os coeficientes da equação do 2 grau, que por inspeção temos:

b = 360 e a = -60

Logo a função será máxima quando C = – (360)/2.(-60) = 3!

Substituindo C = 3 na equação (1) teremos

D = -60.(3)2 + 360.3 + 960 = 1500m!

Resposta (B)

Comentário

Esta é uma questão interdisciplinar que requer conhecimentos básicos de composição de movimentos, cinemática e conhecimento da função do 2 grau, seus pontos de máximo e mínimos. É uma questão difícil.

Papelaria - Submarino.com.br

Questão 32 – Exame Qualificação 2 – Uerj/2009

A prova original, assim como seu gabarito, se encontram em:

Vestibular Uerj 2009

Enunciado

32) Os gráficos I e II representam as posições S de dois corpos em função do tempo t.

No gráfico I, a função horária é definida pela equação S = a1.t2 + b1.t e, no gráfico II, por S = a2.t2 + b2.t.

Admita que V1 e V2 são, respectivamente, os vértices das curvas traçadas nos gráficos I e II.

Assim, a razão a1/a2 é igual a:

(A) 1
(B) 2
(C) 4
(D) 8

Resolução

As coordenadas do vértice de uma parábola são dadas por:

Xv = -b/2.a e Yv = –delta/4.a

No caso I:

Xv = t1/2 = -b1/2.a1 (1) e Yv = h = -b12/4.a1 (2)

Combinando (1) e (2) e resolvendo para a1, teremos:

a1 = -4.h/t12 (5)

No caso II:

Xv = t1 = -b2/2.a2 (3) e Yv = h = -b22/4.a2 (4)

Combinando (3) e (4) e resolvendo para a1, teremos:

a2 = -h/t12 (6)

Dividindo (5) por (6) teremos 4!

Resposta (c)

Comentário

Esta questão parece que é de física mas é de matemática! E bem técnica (decoreba). Uma vez que o aluno tem que saber as coordenadas do vértice da parábola! Ao menos desta maneira que resolvi 🙂

Questão 41 – Exame Qualificação 2 – Uerj/2009

A prova original, assim como seu gabarito, se encontram em:

Vestibular Uerj 2009

Enunciado

41) Nas ilustrações abaixo, estão representados três sólidos de bases circulares, todos com raios iguais e mesma altura. Considere as medidas dos raios iguais às medidas das alturas, em centímetros.

As massas específicas de quatro substâncias, três das quais foram empregadas na construção desses sólidos, estão indicadas na tabela:

Admita que os sólidos tenham a mesma massa e que cada um tenha sido construído com apenas uma
dessas substâncias.
De acordo com esses dados, o cone circular reto foi construído com a seguinte substância:

(A) w
(B) x
(C) y
(D) z

Resolução

Do nosso conhecimento de geometria espacial sabemos que o volume:

a) da semi-esfera é dado por 1/2 x 4/3 x pi. R3

b) do cilindro reto é dado por pi x R2 x R

c) do cone reto é dado por 1/3 x pi x R2 x R

Como vemos o menor volume é do cone circular reto: V = 1/3 x pix R3

Como a massa é dada por d.V (massa específica vezes volume) e todos eles tem mesma massa (pelo enunciado) aquele que tem menor volume terá que ter a maior massa específica, que é a substância Z!

Resposta (D)

Comentário

Questão interdisciplinar (Física e Geometria) fácil. A parte de física sendo bem trivial! O aluno deveria conhecer o cálculo do volumes das figuras dadas (meio decoreba!)

Questão 37 – Exame Qualificação 2 – Uerj/2009

A prova original, assim como seu gabarito, se encontram em:

Vestibular Uerj 2009

Enunciado

37) Um avião sobrevoa, com velocidade constante, uma área devastada, no sentido sul-norte, em relação a um determinado observador.

A figura a seguir ilustra como esse observador, em repouso, no solo, vê o avião.

Quatro pequenas caixas idênticas de remédios são largadas de um compartimento da base do avião, uma a uma, a pequenos intervalos regulares. Nessas ircunstâncias, os efeitos do ar praticamente não interferem no movimento das caixas.

O observador tira uma fotografia, logo após o início da queda da quarta caixa e antes de a primeira atingir o solo.

A ilustração mais adequada dessa fotografia é apresentada em:

Resolução

Do nosso conhecimento de inércia, sabemos que na ausência de forças horizontais as caixas deverão continuar com a mesma velocidade (do avião), na direção horizontal. Assim o observador deverá ver/fotografar, cada caixa, sempre abaixo do avião (mesma componete horizontal da velocidade.

Como me pediram uma explicação, mais detalhada, segue abaixo:
Opa Claudia!

O que, especificamente não entendeste?

Na ausência de forças horizontais (só há o peso atuando nas caixas) pelo principio da inércia, as caixas deverão continuar com a mesma velocidade horizontal do avião, isto é, elas caem verticalmente mas o movimento horizontal é constante.

Um observador, na Terra, veria as caixas descreverm um arco de parábola, mas *todas elas* sempre abaixo do avião!

Logo, na foto, deveria aparecer todas as caixas abaixo do avião, somente com alturas diferentes, pois estão, também, caindo!

Eu tentei ser mais claro! Caso ainda tenha dúvidas, sinta-se a vontade para perguntar!

Resposta (A)

Comentário

Esta questão média que derrubará muitos candidatos, embora o conceito envolvido (inércia) e relatividade dos referenciais, não seja tão complexo