Pra mim, o mais impactante nesta suposta primeira detecção das ondas gravitacionais é o sofisticado aparato físico-eletrônico-matemático para separar ruído de sinal e validar a detecção, isto é, excluir eventuais artefatos produzidos pelo sofisticado aparato instrumental.

Considerando que por trás do artigo sobre a detecção existem 133 instituições de pesquisas envolvidas e dezenas de pesquisadores envolvidos (o artigo ocupa mais espaço com a citação dos colaboradores do que com a análise espectral da detecção a chance de ser um falso positivo é bem remota (mas não desprezível!)!

1/2 bala juquinha se não será tema de questões de vestibulares! Possivelmente nao no #ENEM-2016. Não há tempo de elaborarem itens e pré-testarem para este ano…